Abrir a próprio negócio é o sonho de muitos profissionais. Contudo, os custos elevados no Brasil podem dificultar este sonho.

Se você é um dos corretores que sonha em ter o próprio negócio, neste artigo, vamos explicar qual a melhor solução para um corretor de imóveis que trabalha de forma independente ou em alguma imobiliária.

Dois (02) itens precisam ser entendidos antes de iniciar o processo de abertura de uma empresa.: A natureza jurídica e o enquadramento fiscal.

Natureza Jurídica

As duas naturezas jurídicas mais comuns para o corretor de imóveis são a empresa LIMITADA e o Empresário Individual chamado de EIRELI. Note que o tipo de empresa chamada MEI não pode ser utilizada para corretores imobiliários. Vamos entender a diferença desses dois:

Na empresa tipo LIMITADA, o corretor de imóveis precisa de pelo menos 2 sócios para abrir o seu negócio. E o corretor de imóveis deve possuir no mínimo 30% das cotas da empresa e ser o responsável técnico da empresa. A vantagem desse tipo de natureza jurídica é que não existe um capital mínimo para sua abertura. A desvantagem é a necessidade de mais uma pessoa para compor o capital social.

Na empresa tipo EIRELI – Empresa Individual de Responsabilidade Limitada – é uma categoria empresarial que permite a constituição da empresa por apenas um sócio – o próprio empresário. Apesar da vantagem de se possuir apenas um sócio, o Capital Social mínimo é alto: igual ou superior a 100 vezes o valor do salário-mínimo vigente.

Enquadramento Tributário

O enquadramento tributário pode ser definido como um conjunto de regras às quais todos estamos sujeitos, de acordo com a condição e atividades econômicas de cada um. A atividade econômica, ou CNAE, determina as regras de tributação o qual podemos optar, junto com a estimativa de faturamento.

O enquadramento tributário de uma empresa é definido pela contabilidade no início de cada ano ou na abertura da empresa. Hoje no Brasil existem 3 tipos de enquadramento tributário distintos:

Simples Nacional — opcional para empresas que faturam entre R$ 81 mil e R$ 4,8 milhões.

Lucro Presumido — opcional para empresas cujo faturamento esteja entre R$ 4,8 milhões e R$ 78 milhões.

Lucro Real — obrigatório para empresas que registrem faturamento superior a R$ 78 milhões ou R$ 6,5 milhões mensais, quando o exercício anterior é inferior a 12 meses.

O enquadramento tributário mais comum para os corretores de imóveis é o simples nacional, pois simplifica em muito a forma tributar e a contabilidade envolvida no processo de pagamento de taxas.

Planejamento: Abrindo uma empresa

Entendido a parte legal de abertura de uma empresa, é preciso planejar a abertura para que o corretor de imóveis não acabe com seu sonho logo no início.

Hoje no Brasil é fácil abrir uma empresa, e mais fácil ainda mantê-la com custo fixo muito baixo. E essa é a melhor estratégia para o negócio perdurar.

Com o avanço da tecnologia, o Brasil começa descobrir novas startups que fornecem serviços com preços muito atrativos. Veja alguns exemplos:

Você pode hoje abrir uma conta bancária empresarial sem nenhum tipo de mensalidade, chamadas contas taxa zero.

Existem empresas na internet que fornecem cartões de crédito empresariais Pré-Pagos sem nenhum tipo de taxa.

O corretor imobiliário pode ainda alugar um endereço fiscal na sua cidade por apenas R$ 50,00 ao mês, e constituir sua empresa em um endereço virtual.  Ele não precisa mais alugar uma sala comercial de R$1.000,00 (mil reais) para constituir sua empresa.

Existem contabilidades online que cobram apenas R$ 50,00 (cinquenta reais) ao mês se a empresa estiver no simples nacional.

E esses são apenas alguns exemplos.

Hoje é possível possuir uma empresa totalmente legalizada com custo fixo por apenas R$ 100,00 (cem reais) ao mês.  Mas a melhor dica que podemos te dar é que, antes de formalizar o seu negócio, você busque o suporte de um contador. Esse profissional irá orientá-lo e também irá te explicar todos os detalhes da carga tributária e opções para operar sua atividade.

Tire suas dúvidas